COMO AS SEMENTES PIRATAS SÃO COMERCIALIZADAS?

Autor: AGROLINK -Aline Merladete

Publicado em: 18 DE MAIO DE 2020

A pirataria no mercado de sementes forrageiras traz um grande prejuízo ao agronegócio e, sobretudo, para o produtor. Atualmente as sementes piratas vêm tomando um espaço preocupante no setor agrícola. Alguns estudos indicam que mais de 30% das sementes utilizadas no Brasil são piratas. Estima-se que o prejuízo para o agricultor brasileiro chega a dois bilhões de reais por ano e esse número não para de crescer.

De acordo com as informações levantadas pea Barenbrug do Brasil, a maioria delas é proveniente de sementes salvas que produtores utilizam para uso próprio e acabam comercializando o que restou de maneira ilegal.  A compra destas sementes ilegais é facilitada pelo acesso rápido, pela falta de conhecimento e também pelo baixo valor que necessita ser investido. Muitas vezes o produtor quer diminuir seus custos de produção e adquire uma semente pirata, que chega sem registro, sem nota fiscal, sem o acompanhamento de profissionais e o pior, sem qualquer certificação ou garantia de produtividade.

Quem opta pelas sementes piratas pode ocasionar sérios problemas para a lavoura, expondo toda a sua produção à disseminação de pragas, doenças e plantas daninhas. “As sementes piratas não têm os atributos básicos que uma semente de boa procedência tem, como: naturezas física e sanitária garantidas e genética comprovada. Todas as sementes certificadas passam por um processo rigoroso que garantem germinação e pureza, características obrigatórias de uma semente de qualidade”, reforça Pereira.

Os fatores de risco de uma semente pirata são inúmeros, sendo quatro principais:

1)   Plantas Daninhas 

O aumento da incidência de plantas daninhas entre a plantação dificulta o controle da mesma e aumenta o uso desnecessário de defensivos agrícolas, afetando a produtividade e riscos ao ambiente. 

2)   Sementes Contaminadas

Muitas das sementes piratas podem vir contaminadas e tornam-se vetores para o campo, causando epidemias e, consequentemente, a perda de produtividade e o aumento do custo da produção.

3)   Pragas

Geralmente as sementes piratas aumentam a disseminação de pragas comprometendo a produtividade da lavoura e aumentando o custo do manejo.

4)   Baixa germinação 

A semente pirata geralmente não emerge de forma uniforme no campo, reflexo do baixo vigor, o que causa falhas no estabelecimento da cultura e acarreta perdas.